Degeneração Macular Relacionada à Idade

O que é Degeneração macular relacionada à idade – DMRI?

A DMRI é uma doença do envelhecimento da retina e, por isso, ocorre em paciente com mais de 60 anos. Por causa deste envelhecimento, a retina perde a capacidade de limpar o “lixo” resultante de suas atividades metabólicas. O acúmulo desta “sujeira” na mácula leva ao aparecimento das drusas, que são os primeiros sinais da DMRI. A doença tem 2 apresentaçòes que chamamos de seca ou úmida. É uma doença que ocorre obrigatoriamente nos dois olhos, porém eles podem ter fases e gravidade diferentes.

À esquerda uma retina normal e à direita observa-se a formação de drusas, que são estes focos amarelados na região da mácula

À esquerda uma retina normal e à direita observa-se a formação de drusas, que são estes focos amarelados na região da mácula

Quem pode ter Degeneração macular relacionada à idade?

Normalmente a DMRI ocorre em pessoas com mais de 60 anos, de pele branca. Outros fatores de risco importantes são história familiar, tabagismo e exposição ao sol.

Quais são os sintomas da doença?

Os sintomas são distorção e/ou perda da visão central.

Roisman234366

Como prevenir a Degeneração macular relacionada à idade?

Tenha um hábito de vida saudável, coma verduras verdes e peixes e principalmente evite fumar. A consulta de rotina com retinólogo também é importante para detectar alterações precocemente.

Como é feito o diagnóstico da Degeneração macular relacionada à idade?

O mapeamento de retina (fundo de olho) é o principal exame para o diagnóstico e acompanhamento da doença. A tomografia da retina (OCT) também é fundamental no acompanhamento da DMRI, principalmente nos pacientes que estão em tratamento. Além disso, o médico retinólogo pode solicitar a angiografia retiniana com contraste venoso em alguns casos.

Qual é o tratamento da Degeneração macular relacionada à idade?

A forma seca da doença ocorre na maioria dos pacientes. Esta forma tem uma evolução mais insidiosa, mas pode causar atrofia da retina na região macular, provocando perda visual irreversível. Não existe tratamento específico para esta forma. Em alguns casos o médico prescreve um complexo vitamínico capaz de lentificar o processo de deterioração da visão.

À esquerda uma retina normal e à direita observa-se DMRI na forma seca associado a atrofia (área mais clara) da parte central da mácula

À esquerda uma retina normal e à direita observa-se DMRI na forma seca associado a atrofia (área mais clara) da parte central da mácula

A forma úmida é caracterizada pelo aparecimento de um complexo de vasos abaixo da retina que podem sangrar e edemaciar (inchar) a retina na região macular, causando distorção e/ou perda da visão central. Este estágio deve ser tratado com injeção intra-ocular de uma medicação anti-angiogênica que combate o complexo vascular. As opções existentes atualmente são o AVASTIN, LUCENTIS e EYLIA. As injeções devem ser realizadas mensalmente até o controle do complexo vascular, evitando a perda visual permanente.

À direita uma retina normal e à esquerda observa-se o complexo vascular no centro da mácula associado a grande hemorragia adjacente

À direita uma retina normal e à esquerda observa-se o complexo vascular no centro da mácula associado a grande hemorragia adjacente

Injeção intra-ocular

Injeção intra-ocular

Vídeos educacionais: